RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADAS - PRAD

RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADAS - PRAD

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADAS - PRAD.


O que é Recuperação de Área Degradada PRAD?

Um Plano de Recuperação de áreas Degradadas consiste de um documento que contém as medidas propostas para a mitigação dos impactos ambientais decorrentes das atividades ou dos empreendimentos, incluindo o detalhamento dos projetos para a reabilitação das áreas degradadas, que podem ser de revegetação (estabilização biológica), geotécnica (estabilização física), e remediação ou tratamento (estabilização química).

A importância da recuperação de áreas degradas para o meio ambiente

Uma área perturbada ou degradada define-se pela ocorrência de alteração das propriedades ambientais, bióticas e abióticas devido aos impactos de uma atividade.

 


LEI FEDERAL!!!

Previsto na Constituição Federal de 1988 para áreas mineradas, o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD foi concebido para atividades de mineração, mas passou a ser aplicado em diversos tipos de empreendimentos e é previsto no escopo dos Estudos Ambientais  e no Licenciamento Ambiental.

Um Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD) deve, portanto, apresentar o conjunto de métodos, instruções e materiais necessário para o retorno do sítio degradado a uma determinada forma de uso do solo visando à utilização, de acordo com o plano preestabelecido para o uso ou capacidade produtiva dos recursos ambientais. 

A reabilitação de um local define-se por um conjunto de procedimentos que propiciam o retorno da atividade produtiva visando a um uso futuro, considerando as aptidões do local, a intenção de uso as condições do meio físico e biótico (NBR ABNT 13.030:1999).

A recuperação constitui-se pela recomposição da área degrada para o estabelecimento da função original do ecossistema. Já a restauração implica na reposição exata das condições ecológicas da área degrada.

 


Qual o foco de um PRAD?

Muitos PRADs apresentam o foco em recuperar as espécies nativas, por exemplo, utilizando técnicas de  plantio de espécies nativas por mudas ou semeadura direta; transposição de solo orgânico ou serrapilheira com propágulos; propagação vegetativa de espécies nativas; condução da regeneração natura, reflorestamentos. .

O método de recuperação ou restauração da vegetação deve ser definido  conforme as características bióticas e abióticas da área e conhecimentos sobre o impacto causado, a resiliência da vegetação e a sucessão secundária, justificado tecnicamente no PRAD.

Qual seja o foco do PRAD, deve interferir de acordo com as peculiaridades do dano e do local e proteger a área de fatores que possam prejudicar o processo de retorno da qualidade ambiental da área, conforme as exigências estabelecidas, com economicidade, eficácia dos resultados e desempenho futuro.

Em municípios como Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Praia Grande, Itanhaém e outros da Baixada Santista e Litoral Norte.


Nossos serviços:

O PRAD - Plano de Recuperação de áreas Degradadas tem sido exigido pelas Secretaria de Meio Ambiente onde os proprietários de imóveis que ocuparam áreas Verdes Públicas. Após a assinatura do TAC (Termo de Compromisso Ambiental) o projeto é exigido para realização do plantio. Este trabalho inclui:

    • Projeto de Recuperação Ambiental;
    • Anotação de Responsabilidade Técnica;
    • Plantio de mudas nativas;
    • Instalação de Cerca Viva;
    • Manutenção da vegetação;
    • Recuperação de taludes;
    • Fortalecimento floresta de encostas;
    • Substituição de mudas mortas;
    • Relatórios de acompanhamento da regeneração da área.

 

Como a Engea consultoria ambiental pode ajudar?

A ENGEA conta com profissionais competentes e especializados na elaboração de PRAD.